Startups, oportunidades e riscos

Startups, oportunidades e riscos

Publicado originalmente no Caderno JC Geração Empreendedora

_

O empreendedorismo inovador é uma atividade iniciada de uma ideia original, que tem valor econômico ou social, cujo produto deverá escalar o mercado e obter repetibilidade de demanda. Esse é o mundo das startups.

Algumas pesquisas apontam que o brasileiro é um povo empreendedor. Em tempos de percalços na economia, isso fica ainda mais evidente. Além dos jovens que têm uma natural sede de experimentar coisas novas, também pessoas mais experientes – muitas com carreiras profissionais desenvolvidas como colaboradores de empresas estabelecidas –  partem para novos desafios.

O Brasil ainda é um país novo com muitos problemas a serem resolvidos, inúmeras necessidades não atendidas. Há trabalho a ser feito! Os mais atentos logo percebem as oportunidades desse contexto. Com uma ideia na cabeça, vontade de tentar algo novo e coragem para assumir riscos, os empreendedores vão à frente com a edificação de novos negócios criando startups.

O maior risco, para o empreendedor inexperiente em tocar um negócio, não está na iniciação do empreendimento, na concepção do produto que vá ao encontro de uma necessidade da sociedade, na abertura da nova empresa. Esse início é o momento gostoso da empreitada, é onde a criatividade floresce, onde a ação toma impulso, quando o negócio ganha os holofotes. É a oportunidade se materializando.

O risco está mais adiante, quando já há um produto ganhando o mercado. Quando o modelo de negócio começa a ser, de fato, posto à prova. Com a escalada, o empreendedor com sucesso em sua caminhada inicial, vai descobrir que não bastava a boa ideia e a correspondente proposta de valor elaborada e validada. Aqui se inicia uma nova transformação, a do empreendimento embrionário (da startup) em uma empresa consolidada.

Isso implica deixar de lado a desorganização dos primeiros tempos – a flexibilidade então necessária, a estrutura funcional não definida, os processos imaturos. Chega a hora de organizar a empresa: de estabelecer uma organização por áreas de competência; de mapear os processos que respondem por essas funções preservando o conhecimento do negócio; de cuidar das pessoas que vão sendo incorporadas ao empreendimento, com seu treinamento para executar os processos e seu desenvolvimento para manter a sustentabilidade do negócio.

O empreendedor que iniciou explorando uma ideia útil deverá se tornar um executivo capaz de conduzir uma empresa. Assim deve adquirir conhecimentos e expertise em gestão e desenvolver ou aperfeiçoar suas habilidades de liderança. Esse será seu novo desafio, seu novo empreendimento. Só assim passará de um empreendedor a um empresário bem sucedido, mitigando os riscos e concretizando a oportunidade.


Compartilhar:
Facebooktwittergoogle_pluslinkedinmailFacebooktwittergoogle_pluslinkedinmail
Robin Pagano

robin@star2up.com.br

<p>Pensador, palestrante e consultor em empreendedorismo, inovação, estratégia e gestão de negócios.</p>

No Comments

Post a Comment

Comment
Name
Email
Website